Nicki Minaj Maya Angelou ainda eu me levanto — 2022

Nicki Minaj presta um tributo lindamente elegante e comovente a Maya Angelou no próximo evento de televisão da A&E, 'Shining a Light: A Concert for Progress on Race in America', definido para ir ao ar Sexta-feira, 20 de novembro, às 20h00 HUSA. Vestido com um lindo top de contas dourado e preto, o premiado artista da música lê o poema proclamado pelo poeta 'Still I Rise'. Angelou, que faleceu no ano passado, compartilhou essas estrofes com o mundo pela primeira vez em 1978. Elas só ganharam força e gravidade nas décadas seguintes. Ouça Minaj ler 'Still I Rise' neste clipe poderoso. E apenas no caso de você querer estudar as palavras, incluímos o poema na íntegra, abaixo.Propaganda Ainda assim eu me levanto Você pode me escrever na história
Com suas mentiras amargas e distorcidas,
Você pode me pisar na própria sujeira
Mas ainda assim, como poeira, eu irei subir. Minha petulância te incomoda?
Por que você está atormentado pela escuridão?
ZX-GROD

Porque eu ando como se tivesse poços de petróleo
Bombeando na minha sala de estar. Assim como luas e sóis,
Com a certeza das marés,
Assim como grandes esperanças,
Ainda assim, vou me levantar. Você quer me ver quebrado?
Cabeça baixa e olhos baixos?
Ombros caindo como lágrimas.
Enfraquecido por meus gritos comoventes? minha arrogância te ofende?
Não leve isso muito difícil
Porque eu rio como se tivesse minas de ouro
Cavando no meu próprio quintal. Você pode atirar em mim com suas palavras,
Você pode me cortar com seus olhos,
Você pode me matar com seu ódio,
Mas ainda assim, como o ar, vou subir. Minha sensualidade te incomoda?
Isso é uma surpresa
Que eu danço como se tivesse diamantes
No encontro das minhas coxas? Das cabanas da vergonha da história
eu levanto
De um passado que está enraizado na dor
eu levanto
Eu sou um oceano negro, saltando e largo,
Flutuando e inchando, agüento a maré.

Deixando para trás noites de terror e medo
eu levanto
Em um amanhecer que é maravilhosamente claro
eu levanto
Trazendo os presentes que meus ancestrais deram,
Eu sou o sonho e a esperança do escravo.
eu levanto
eu levanto
Eu levanto. - Maya Angelou (1928-2014) IMAGEM DE ABERTURA: Foto: REX Shutterstock.